Google

Pages

terça-feira, 17 de novembro de 2009

JOGOS ENVOLVENDO MÚSICA

A MOTIVAÇÃO

Como interagir com alunos muitas vezes indisciplinados, que vivem em meio ao barulho cotidiano das grandes cidades, ou são solicitados por mil e um estímulos que dispersam sua atenção? A principal regra que devemos respeitar é que NÃO HÁ ESCUTA SEM MOTIVAÇÃO.
A motivação está relacionada com o prazer obtido na atividade e pode ser despertada pelo jogo. O jogo estimula a criança a escutar e a discriminar o som dos instrumentos e os motivos sonoros que se repetem.

O JOGO E A CRIANÇA

Os jogos musicais podem ser de três tipos, que correspondem a três fases do desenvolvimento infantil:
- o sensório-motor: envolve a pesquisa do gesto e dos sons. A criança poderá encadear gestos para produzir sons e ouvir música expressando-se corporalmente. A imitação é muito importante para o desenvolvimento sensório-motor.
-o simbólico: consiste em jogos através dos quais a criança representa a expressão, o sentimento e o significado da música.
-o analítico ou de regras: sao jogos que envolvem a estrutura e a organização da música.

Inicialmente a criança brinca sozinha, mesmo estando perto de outras crianças. Encontra-se exposta a um complexo universo de movimentos, ritmos do corpo e ritmos das músicas e das palavras. É aconselhável que as canções apresentadas sejam do gosto da criança.
A partir do momento em que a socialização se inicia, os jogos coletivos tornam-se possíveis e vão ficando cada vez mais elaborados. A criança não apenas irá manejar seu instrumento musical ao lado do colega, mas junto com ele, escutando a si mesma e aos outros, esperando sua vez de cantar ou tocar, dialogando e expressando-se musicalmente.
A criança com 2 anos é capaz de cantar versos soltos, fragmentos de canções, geralmente fora do tom. Reconhece algumas melodias e cantores. Gosta de movimentos rítmicos em rede, cadeira de balanço, etc.
Com 3 anos a criança consegue reproduzir canções inteiras, embora geralmente fora do tom. Tem menos inibição para cantar em grupo. Reconhece várias melodias. Começa a fazer coincidir os tons simples de seu canto com as músicas ouvidas. Tenta tocar instrumentos musicais. Gosta de participar de grupos rítimicos: marcha, pula, caminha, corre, seguindo o compasso da música.
A criança de 4 anos progride no controle da voz. Participa com facilidade de jogos simples, cantados. Interessa-se muito em dramatizar as canções. Cria pequenas músicas durante a brincadeira.
Com 5 anos a criança entoa mais facilmente e consegue cantar melodias inteiras. Reconhece e gosta de um extenso repertório musical. Consegue sincronizar os movimentos da mão ou do pé com a música. Reproduz os tons simples de ré até dó superior. Consegue pular em um só pé e dançar conforme o ritmo da música. Percebe a diferença dos diversos timbres ( vozes, objetos, instrumentos), dos sons graves e agudos, além da variação de intensidade (forte e fraca).
A criança de 6 anos percebe sons ascendentes de descendentes. Identifica as fórmulas rítmicas, os fraseados musicais, as variações de andamento e a duração dos valores sonoros.
Com 7 anos a criança expõe e defende suas idéias. Ouve em silêncio, acompanhando a melodia e o ritmo da música. Canta acentuando a tônica das palavras. Bate as pulsações rítmicas com as mãos, enquanto o pé acentua o tempo mais forte.
com 8 anos a criança é mais rápida em suas próprias reações e também compreende melhor as dos demais. Percebe e distingue com segurança os elementos rítmicos, criando frases rítmicas.

Todas essas características variam de criança para criança, e seu desenvolvimento pode ser acelerado pela interferência do trabalho de musicalização realizado na escola.

0 comentários:

Postar um comentário